IV Festival Noites Brasileiras reúne artistas do Ceará e do Maranhão – O POVO

Com uma programação gratuita e repleta de atividades festivas, o IV Noites Brasileiras – Festival Multicultural do Brasil celebra a cultura dos estados do Ceará e do Maranhão. Shows, performances, gastronomia e uma feira de economia criativa são os programas responsáveis por entreter o público. O evento acontece nos dias 24 e 25 de junho no Teatro Dragão do Mar e na Praça Verde, localizados no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza.

A 4° edição do Noites Brasileiras marca o encontro de culturas de dois estados do Nordeste. O produtor cultural e curador do evento William Mendonça apresenta o festival como um espetáculo único que reúne um “olhar” sem rótulos sobre a cultura do Ceará e do Maranhão. “Fazemos um passeio poético pela diversidade das manifestações artísticas, das tradições ao contemporâneo. Estamos trazendo maranhenses para, junto com os cearenses, contar uma história”, comentou William.

O primeiro dia de festival tem seu início no Teatro Dragão do Mar, no dia 24, a partir das 18h. O primeiro momento conta com uma solenidade seguida pelo espetáculo musical, “Zabumba”, que narra a história de uma família de agricultores viajando em condições peculiares por estados do Nordeste.
Na Praça Verde, as atividades começam a partir das 19h com a feira de economia criativa seguida por shows de artistas já consolidados na cena musical do Ceará e do Maranhão. DJ Luh del Fuego (MA), Nayra Costa (CE), Maria Antonia (CE), Tambor das Marias da Casa de Mestre Felipe (CE + MA) e Bruna Ene (CE) são algumas das atrações confirmadas. O show de encerramento do primeiro dia fica a cargo do cantor e compositor Zeca Baleiro.

Zeca Baleiro encerra a primeira noite com um show repleto de músicas que marcaram seus 25 anos de carreira. “Toco algumas novidades, bastante coisa do início de carreira, releio hits e vou homenagear alguns artistas que admiro. Certas canções não posso deixar de fora, como ‘Babylon’, ‘Telegrama’ e ‘Bandeira’. O resto é surpresa”, afirmou Zeca.

O compositor de “Telegrama” diz estar com boas expectativas para o festival. Zeca comenta que o Ceará é uma terra querida por ele e que admira a produção musical do Estado. “Tocar nesse evento que homenageia meu estado natal torna tudo mais festivo. Acho lindo qualquer tipo de aproximação. Ceará, Maranhão e Piauí são estados vizinhos, mas com pouco intercâmbio cultural. É preciso criar essa ponte e fortalecê-la”, contou.

O cantor destaca a relevância de celebrar a cultura nordestina por meio da arte sem medo de repressões. Para o compositor, tudo que for feito de positivo para comemorar a cultura nordestina é importante. “A arte é essencial à vida. Cultura é também economia, move milhões, emprega milhares de pessoas. Só um governo muito estúpido e amedrontado pode empreender esse ataque à cultura. O Nordeste é um grande abastecedor da cultura brasileira, uma fonte infinita. Devemos celebrar sempre a cultura produzida aí”, afirmou.

Zeca relançou em maio de 2022 o álbum “Canções d’além-mar” com a adição de novas gravações. O disco foi reconhecido com um prêmio pela maior premiação da América Latina, o Grammy Latino. O álbum tem influência de ritmos e melodias portuguesas, gênero, o qual Zeca acompanha desde a década de 1980.

“Me apresentei diversas vezes em Portugal e, a cada viagem, voltava carregado de cds portugueses. O álbum reúne canções portuguesas de que gosto muito e que acabam por fazer um resumo razoável da produção musical portuguesa dos últimos 50 anos. O disco ganhou o Grammy Latino e isso foi uma grande surpresa, não esperava de fato. Claro que não deixa de ser irônico que o prêmio de Melhor Álbum de MPB seja um disco dedicado a canções portuguesas”, brincou.

Nayra Costa é uma artista de destaque no cenário cearense, com mais de 20 anos de carreira. Ela já experimentou ritmos musicais, como rock, pop, reggae, soul, jazz, R&B e world music. A cantora já se apresentou mais de 3 mil vezes no Ceará, em outros estados e em shows internacionais. 

 “Artistas unidos se fortalecem, se enaltecem e com isso há mais apoio e valorização da nossa cultura e da nossa música. As expectativas para o festival são as maiores possíveis. Vamos fazer nosso som autoral. Estarei cantando as músicas que já lancei e outras que ainda estão por vir”, declarou Nayra, que dividirá o palco com as artistas Maria Antônia e Bruna Ene.

O segundo dia do Festival Noites Brasileiras abre com um painel sobre o “Futuro dos Festivais: Relação do Artista com os Territórios”, a partir das 9h30 no Teatro Dragão do Mar. Durante a tarde, a partir das 17h, o espetáculo continua na Praça Verde com a banda de reggae DONALEDA juntamente com o cantor Andread Jó. A programação ainda conta com apresentação do grupo de quadrilha Junina Passagem, grupo do distrito de Passagem, em São Gonçalo do Amarante (CE).
O festival segue com as performances musicais da DJ Priscila Delgado (CE) e da cantora Fabíola Líper (CE) que prestará homenagem ao cantor e compositor Antônio Vieira. A atriz Áurea Maranhão (MA) performará um trabalho teatral em perna de pau junto à plateia. Áurea ganhou destaque depois de interpretar a policial Márcia na série Cidade Invisível da plataforma de streaming Netflix.

A conclusão do IV Festival Noites Brasileiras será comandada pelo performer, músico, compositor e letrista, Mateus Fazeno Rock e pelo bloco Unidos da Cachorra. Mateus, de 26 anos, ganhou notoriedade na cena artística cearense por fazer o “rock de favela”. O artista é o responsável pela criação do “Fazeno Rock”, movimento que busca mudar o método tradicional de criar músicas de rock.

Mateus conta que vem desenvolvendo um trabalho árduo com a sua equipe para realizar um bom show no festival e receber o carinho do público. “Foi muito bom ter sido convidado para participar do Festival Noites Brasileiras. Estou ansioso para ver toda a galera reunida”, disse Mateus.

Mateus enaltece a junção da cultura popular nordestina por meio do trabalho desempenhado pelo evento. “É por meio da cultura popular, da espontaneidade que o Nordeste tem que percebo a importância do festival. O evento é um potencializador da cultura”, destacou.

O jovem traz para a Praça Verde seu show “Fazeno Rock”, uma mistura de rock, funk, reggae, rap e hip hop: “É negritude, é favela, são várias histórias”. O artista deve apresentar um show com todas músicas do seu primeiro álbum de estúdio, o “Rolê nas ruínas”, sua última música de trabalho, “Pose de Malandro/ Me querem morto”, além de canções inéditas.

O desfecho do festival fica por conta do bloco Unidos da Cachorra que deve fazer um fechamento em ritmo de pré-carnaval na Praça Verde. Durante a noite o bloco recebe a participações de duas vozes femininas da música no Ceará, Luiza Nobel e Sâmya Kássia.

IV Noites Brasileiras – Festival Multicultural do Brasil
Quando: sexta-feira, 24, e sábado, 25
Onde: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
Mais info: @festivalnoitesbrasileiras no Instagram
Gratuito
 

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker. Escute o podcast clicando aqui.

Estamos disponibilizando gratuitamente um conteúdo de acesso exclusivo de assinantes. Para mais colunas, vídeos e reportagens especias como essas acesse sua conta ou assine O POVO +.

source

Deixe uma resposta