Tudo é Jazz chega a Congonhas com programação cultural gratuita – Correio de Minas

Shows, Roda de Conversa e oficinas marcam a programação do festival que, pelo primeira vez, chega a Congonhas. Atividades acontecerão nos dias 16, 18 e 19 de julho
Em 2022, quando completa duas décadas, o Festival Internacional de Jazz de Ouro Preto – Tudo é Jazz – festival de jazz pioneiro em Minas Gerais – extrapola suas atividades da sua terra natal e chega até Congonhas. O festival vai agitar a cidade nos dias 16, 18 e 19 de julho, com shows, rodas de conversa e oficinas, tudo gratuito.
SHOWS
No dia 16 de julho, (sábado), às 18 horas, o anfiteatro do Museu de Congonhas recebe a pianista, compositora, arranjadora, cantora, produtora musical, professora e pesquisadora de música, Glaw Nader. Uma mulher artista negra, que tem como projeto artístico de carreira reverenciar a música negra e contribuir para que a narrativa dela seja feita pelos próprios artistas negros.
Glaw Nader apresentará o show Oríkì, que reúne música instrumental e canção em dois tipos de repertório e destaca a música como linguagem artística capaz de integrar musicistas e público, sem se prender em classificações. O repertório vai privilegiar a música afrodiaspórica contendo composições próprias e releituras de obras consagradas de artistas tão importantes para o país quanto Baden Powell, Moacir Santos, Milton Nascimento, entre outros, a fim de destacar a musicalidade afrobrasileira.
Também no dia 16 (sábado), às 19 horas, será a vez do SambaPretoChoroJazZ, que reúne alunos da Escola de Música Samba Preto Choro Jazz, de Ouro Preto, tocando instrumentos construídos pelos próprios estudantes, fazendo um som extremamente original.
SambaPretoChoroJazZ surgiu em 2014, quando os músicos Diego Fernandez e Cássio Marcelo fundaram a banda “SambaPretoChoroJazZ: o Tributo a Chico Rei”. Unindo o preto, samba, choro e jazz, musicalmente, resulta-se em um acontecimento social, artístico e estético. O grupo tem a sua essência rítmica e melódica inspirada nos tambores e batuques brasileiros, que revivem, misturam e recriam, em sua linguagem, a valiosa herança artística e musical da ancestralidade afro-brasileira. Músicas instrumentais, repertório variado e arranjos arrojados surpreendem os ouvintes, homenageando a figura emblemática de Galanga, o ex-escravo que voltou a ser Rei em Vila Rica de Ouro Preto (MG) e proporcionou uma das maiores libertações de escravos no Brasil colonial. O Chico Rei do Reisado, do Congado.
RODAS DE CONVERSA E OFICINAS
O renomado estilista Ronaldo Fraga estará em Congonhas no dia 16/07 (sábado), para ministrar a palestra “A Conexão sobre o conceito da música projetada na moda e artesanato”, às 17 horas, no Museu de Congonhas.
Já nos dias 18 e 19 de julho (segunda e terça-feira), sempre às 15 horas, no auditório da Romaria, profissionais da SENAC ministrarão oficinas gratuitas focadas no turismo.
No dia 18 (segunda-feira) será a vez dos interessados assimilarem informações sobre o setor turístico e estratégias de retenção de clientes, design, branding, gestão, inovação, tecnologia, investimento e leis e normas de inovação. A oficina Inovação no Turismo será conduzida pelo facilitador do Senac, Felipe Reginaldo de Assunção.
Já a oficina de Marketing Pessoal, com o facilitador do Senac, Gerson de Alberto de Paula será no dia 19 de julho (terça-feira) e os participantes terão a oportunidade de receber informações sobre posicionamento e imagem pessoal que transmite credibilidade, confiança e seriedade para empregabilidade.
Os mestres ferreiros Diego Fernandez e Marcos Cecéu também terão presença marcante na programação em quatro momentos no dia 16 de julho: roda de conversa, oficina de forja de tambores a partir do ferro e aula de percussão e tambores, além do show SambaPretoChoroJazZ.
A Oficina de Forja de tambores a partir do ferro e a aula de percussão e tambores vão oferecer a experiência dos Worksongs e dos Vissungos, através dos ritmos no Tambor e do trabalho do ferro na Forja.
Os Worksongs são músicas afro-estadunidenses que desembarcaram por lá no período da escravidão. Eram melodias cantadas em seus trabalhos, utilizadas para coordenar o tempo, para passar informações e vivências e para tornar-se um pouco mais leve sua execução. Os Worksongs formam raízes importantes e essenciais do jazz e do blues.
Os Vissungos são músicas afro-brasileiras, em língua africana que foram utilizadas principalmente nos serviços de mineração em Minas Gerais. Essa tradição se perpetua até os dias de hoje, nos festejos e nas cantorias diárias.
A compreensão da cultura do trabalho em ferro é extremante importante para que se compreenda a formação da cultura brasileira. O africano trouxe para o Brasil toda a sabedoria técnica e filosófica desta arte milenar. As relações com o trabalho em ferro na forja transcendiam a materialidade e se expressava também no mundo cósmico e sensorial.
Para participar das oficinas, roda de conversa e aula gratuitas é necessária a inscrição prévia, que deve ser feita pelo Whatsapp: 31- 99793-5254. Mas, caso tenha vaga no momento das atividades, basta o interessado se apresentar.
TUDO É JAZZ Considerado um dos maiores festivais de jazz do país e eleito entre os 10 melhores do mundo pelo selo de qualidade da prestigiada revista norte-americana Down Beat, o Tudo é Jazz fará homenagem à sua idealizadora, Maria Alice Martins (agosto 1951 – novembro 2020) e tributo a
Frank Sinatra. Assina a curadoria do festival, o pianista e compositor Tulio Mourão e a direção geral é de Rud Carvalho.
O Tudo é Jazz é realizado com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura e apresentado pela Gerdau e conta também com o aporte do Instituto Cultural Vale. A Gerdau também é patrocinadora do festival por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais. O festival conta ainda com apoio das prefeituras de Ouro Preto, Ouro Branco, Congonhas e  Itabirito.
PROGRAMAÇÃO COMPLETA DE CONGONHAS: 16, 18 E 19 DE JULHO
Dia 16 de julho – sábado
14h – Roda de conversa: A musicalidade afro e seu legado ancestral, com Diego Fernandez
Local: Museu de Congonhas – Espaço Multiuso – Alameda Cidade Matozinhos de Portugal n 77
15h – Oficina: Forja de tambores a partir do ferro com os mestres ferreiros Diego Fernandez e Marcos Cecéu
Local: Museu de Congonhas – Espaço Multiuso – Alameda Cidade Matozinhos de Portugal n 77
16h – Oficina: Aula de percussão e tambores
Local: Museu de Congonhas – Espaço Multiuso- Alameda Cidade Matozinhos de Portugal n 77
17h – Palestra com Ronaldo Fraga – A Conexão sobre o conceito da música projetada na moda e artesanato.
Local: Museu de Congonhas – Espaço Multiuso – Alameda Cidade Matozinhos de Portugal n 77
18h – Show: Glaw Nader
Local: Anfiteatro do Museu de Congonhas – Alameda Cidade Matozinhos de Portugal n 77
19h – Show: SambaPretoChoroJazZ
Local: Anfiteatro do Museu de Congonhas – Alameda Cidade Matozinhos de Portugal n 77
Dia 18 de Julho – segunda-feira
15h – Oficina de capacitação do setor turístico – SENAC- Inovação no Turismo
Local: Auditório da Romaria
Dia 19 de Julho – terça-feira
15h – Oficina de capacitação do setor turístico – SENAC – Marketing Pessoal
Local: Auditório da Romaria
Fundado há 20 anos, o site e jornal CORREIO DE MNAS construiu sua história fincada na integração regional e marcou um novo tempo no jornalismo. As principais marcas são a pluralidade, análise ampla dos fatos e a busca pela qualidade da informação. Por isso o prezamos por uma linha editorial diferenciada com abordagem crítica e reportagens amplas. O site do jornal chega incorporando novas e modernas ferramentas de redes sociais com uma linha editorial do jornal, com programação visual atraente e arrojada. Ao longo da história o jornal tornou-se referência na formação da opinião pública regional.
© 2021 © Correio de Minas 2020 – Todos direitos reservados – Criado por DR.HOSTING.

source

Deixe uma resposta